Sobre
a mostra

A Mostra SESC de Artes reúne diversas linguagens artísticas para provocar pausas, questionamentos e reflexões sobre o cotidiano da cidade de cada um. Para discutir como a produção recente dialoga com o que está estabelecido do ponto de vista histórico, a edição deste ano apropria-se de maneira inusitada de todas as unidades do SESC e de seus arredores, como terrenos vazios, praças, entre outros espaços públicos. O evento coloca o indivíduo no controle da experiência e estimula a participação no mundo das artes. De 19 a 29 de julho, venha fazer sentido na Mostra SESC de Artes 2012.

Introdução

O SESC São Paulo, em sua ação sociocultural, procura democratizar e estimular a promoção, distribuição e acesso aos instrumentos de cidadania: cultura, educação e participação social, por meio da oferta de projetos e programas de diferentes linguagens e origens, da cultura local à produção internacional, voltados aos trabalhadores no comércio de bens e serviços, seus dependentes e à comunidade em geral.

A Mostra SESC de Artes é um caminho de acesso a esses equipamentos de inclusão participativa ao mundo contemporâneo das artes. O projeto pode ser considerado como um momento de especial enfoque no programa artístico da instituição, buscando reunir sob determinado viés, representações das distintas linguagens artísticas presentes na ação cotidiana do SESC. Ao lado da relevância conceitual desejada, a Mostra Sesc de Artes reforça dois aspectos fundamentais para a estrutura da instituição: sua ação em rede, e seu trabalho de difusão da produção simbólica.

Tendo em vista o perfil de experimentalismo notório da Mostra, a ocupação de espaços diferenciados para as diversas manifestações artísticas se reforça como um dos elementos norteadores para a escolha da programação. Apropriar-se de maneira inusitada de todas as unidades do SESC da capital, assim como de alguns espaços públicos, têm sido uma das características da programação de todas as edições anteriores da Mostra, a qual buscamos a permanência e a ampliação nesta edição. O objetivo nestas ocupações e apropriações é provocar pausas, estranhamentos, questionamentos e possíveis reflexões, no cotidiano da cidade e de seus transeuntes.

Mostra SESC de Artes 2012

No período de 19 a 29 de julho o SESC São Paulo apresenta mais uma edição da MostraSESC de Artes, que acontecerá em todas as unidades da capital, além de projetos especiaisque ocuparão alguns espaços públicos da cidade. A partir deste ano a Mostra adquire aperiodicidade bienal, esta decisão marca um momento da instituição, de franca expansão dosprojetos internacionais e de grande porte, que têm sido realizados ao longo de todo o ano,ao mesmo tempo em que garante um espaço maior de pesquisas entre a realização de umaedição e outra.

Considerado como um momento de especial enfoque no programa artístico, ao lado darelevância conceitual desejada, a Mostra Sesc de Artes reforça dois aspectos fundamentaispara a estrutura da instituição: sua ação em rede e seu trabalho de difusão da produçãosimbólica, especialmente a da inclusão participativa ao mundo contemporâneo das artes.

Para elaboração da programação da presente edição, a linha curatorial partiu da discussãode como se configura o tradicional ou a tradição no contexto contemporâneo, entendendoesta aproximação como um dos campos de investigação que tem se apresentando de maneirarecorrente na produção artística recente.

Trata-se de uma proposição que pretende dar conta de um perfil de programação comprojetos em várias linguagens artísticas, e que suscita desdobramentos cujo principal desafioé dar conta do foco central da discussão, mas respeitando, sobretudo, os modus operandide construção das poéticas de cada área de programação buscando evidenciar os possíveisavizinhamentos entre todas elas.

Como desdobramento da pesquisa, foram selecionadas mais de 70 atrações nacionais einternacionais nas linguagens de artes visuais, artemídia, cinema, dança, literatura, músicae teatro que se manifestam através de shows, espetáculos, performances, exposições,instalações, filmes, workshops, oficinas e residências artísticas.

Convidamos você a embarcar nesses dez dias de programação que pretende estimularindefinições, suspensões, pausas e rupturas no cotidiano em relação aos nossos costumes,nossa convivência, nossa arte e nossa vida.

ArteMídia

ArteMídia

Para a programação de Artemídia, focamos a atenção para trabalhos em que se percebem traços de “manualidade”, estruturas aparentes e processos abertos.

 

Quando a artesania se dá no âmbito das imagens técnicas, faz-se necessária a revisão do entendimento da ideia de manipulação, que se expande para o sentido de transformação, experimentação e inclusive, atribuição de sentido.

 

Conjunto de trabalhos com o olhar sobre experimentações “artesanais” pautadas no âmbito dos suportes midiáticos, circuitos eletrônicos e códigos de programação, e que friccionem entre abstrato e concreto na História da Artemídia.

 

A coleção apresentada investiga e reúne trabalhos que lidam com aspectos já circunscritos numa tradição mediática, que questionam, subvertem ou se apropriam dos suportes de produção de imagens e sons como matéria-prima. O percurso curatorial adotado acaba por atribuir uma abordagem mídia-arqueológica para o conjunto de trabalhos selecionados, apresentando não um suposto movimento de transgressão; mas a organização de um conjunto de trabalhos em diálogo no processo histórico.

Artes Visuais

Artes Visuais

Instalações, intervenções e exposições distribuídas por diversas unidades do SESC da cidade de São Paulo, o conjunto de trabalhos de artes visuais reunidos na Mostra SESC de Artes 2012, discute as ideias de apropriação e deslocamento no contexto da produção artística contemporânea.   No universo das artes, a apropriação de objetos, imagens, palavras, sons, materiais, técnicas entre outros, muitas vezes se relaciona aos usos, costumes e hábitos a eles atribuídos por convenção social. A partir do deslocamento desses elementos de seu contexto original surgem novas possibilidades simbólicas e de significados poéticos, em um processo de desnaturalização de suas relações com o mundo, evocando em cada indivíduo distintas experiências, memórias e sensações. O título da mostra é uma referência à poesia Desobjeto, do poeta mato-grossense Manoel de Barros.
Cinema

Cinema

O universo do cinema, por sua própria natureza dependente da tecnologia para tornar-se presente e visível, é vitrine para um desfile de novos mecanismos que muitas vezes norteiam experimentos estéticos nem sempre a serviço de uma narrativa ou propósito autoral.
 
Ainda assim, o que se percebe, é que a linguagem-matriz do cinema se renova e se mantém, travando diálogo constante com suas tradições, e com o Cinema Mudo em especial. A era digital permitiu a restauração em massa de um primeiro cinema, até então invisível nas prateleiras dos arquivos. Cineastas contemporâneos puderam redescobrir esse mesmo cinema, e estreitar possíveis arestas entre o cinema tradicional e o contemporâneo.
 
Os modos de produção hegemônicos ou mesmo toda a tecnologia a serviço da produção cinematográfica tem sido apropriados em favor de uma construção narrativa que inova e atualiza o que compreendemos como “clássico” ou “tradicional” nos filmes que assistimos.
 
Sob esse contexto, a programação de Cinema da Mostra SESC de Artes expõe apropriações, ressignificações e transformações; produtos desse diálogo travado entre o tradicional e o contemporâneo, numa expressão artística que se faz presente, a rigor, ainda que com imagens em 3D, nas salas escuras de projeção.
Dança

Dança

A tradição presente no modo de se fazer dança, que na contemporaneidade busca em várias raízes a multiplicidade de movimentos. A materialidade dos objetos dentro da dança. Mais que abrir processos e evidenciar estruturas, os espetáculos que compõem a Mostra ressignificam o próprio corpo como objeto da dança, propondo sua interação com tantos outros objetos de diferentes pesos, formas e texturas.
Educativo

Educativo

Com o objetivo de aproximar o público dos conteúdos da programação, foram desenvolvidas atividades que propõem a exploração dos temas relacionados aos projetos, de modo a evidenciar os meandros da criação artística. A programação está ancorada a partir de três frentes de ação: 
 
Mediadores: 
Com o objetivo de estimula a autonomia do olhar e a leitura individualizada das obras, educadores estarão presentes nas exposições que compõem a programação, oferecendo a possibilidade de visitas mediadas individuais ou para grupos. 
 
Atividades formativas: Núcleo composto de atividades que terão a objetiva função de promover espaços de troca e aprendizagem, através de workshops, residências artísticas  e oficina.
 
Peças Gráficas: Para todas as atividades serão elaboradas peças gráficas com textos que pretendem detalhar a elaboração de cada obra apresentada. 
 
Literatura

Literatura

A programação de Literatura na Mostra SESC de Artes 2012 propõe a reflexão e a experimentação de um novo cotidiano de leitura, perceptível no transbordamento da oralidade para o ambiente virtual e outros suportes de compartilhamento de informação.

Neste contexto, o olhar curatorial da área de Literatura volta-se tanto para a tradição oral em sua essência, pela voz de narradores das mais diversas naturezas com foco na palavra em presença, onde a escuta é exercício; quanto para a palavra expandida, que conquistou sua independência do papel e da cultura impressa. Signos, códigos e palavras transbordam para suportes como computadores, celulares e tablets, enquanto novos territórios de leitura.

Oralidade, Palavra Expandidae Spoken Word compõem os eixos desta programação.

Música

Música

A pesquisa na área de música para a programação da Mostra SESC de Artes segue conceitos correlatos à pesquisa geral pautados na relação entre o tradicional e o contemporâneo e suas intersecções, a manualidade da produção musical e a abertura do processo de produção ou a estrutura aparente do fazer musical. 
 
A partir da relação entre o tradicional e o contemporâneo, para além do caminho mais próximo que resultaria numa pesquisa em torno da world music, buscamos na produção mais voltada à linguagem contemporânea elementos que dialogam com o tradicional de maneira sutil ou referencial.  Além disto, o bloco com a produção de hip hop africano de certa forma representam esta direta influência do ocidente em conjunção com ritmos tradicionais através do acesso às novas tecnologias de comunicação. Ao trabalhar o conceito de manualidade, refletimos sobre a relação de luteria na feitura de novos instrumentos e a transposição de instrumentos tradicionais em certos gêneros musicais para outros de talhe mais contemporâneo. Com relação à exposição do processo de produção e estrutura aparente, seguimos em torno de traquitanas eletro-acústicas, produção de sons a partir de equipamentos eletrônicos e da visualidade da música por meio de interfaces alternativas.
Teatro

Teatro

A linha curatorial para a programação partiu do questionamento sobre o que pode ser entendido como tradicional e contemporâneo dentro desta linguagem, marcada principalmente pela efemeridade. Mesmo com a presença cada vez mais constante das novas tecnologias e hibridismo de linguagens, o que provavelmente mantém-se como imutável no Teatro é o jogo, não em suas regras-estruturas  bastante esgarçadas, extrapoladas ou por vezes implodidas na produção atual – mas antes na sua essência. 
 
Sendo assim, as escolhas foram pautadas em trabalhos que revisam procedimentos e/ou convenções pré-estabelecidas; onde as matrizes tradicionais são vistas sob novas perspectivas; ou que tenham como principal característica a apropriação e releitura estética - sem perder o foco naquilo que perdura como universal nesta arte.